.
Mas você me contou segredos
E mais do que tudo
Revelou os espaços vazios entre nós
Verdade inspirada em trilha sonora de filme B
Plano A, dia D, sopa de letras miúdas
Contrato escriturado e lavrado em dia de chuva  
Silêncio explícito entre amores perdidos
E o que faremos se o espólio é dor?
Arte cubista tem mais sentido
E até entendo melhor os (des)amores de Picasso
Queria aqui os relógios derretidos de Dali
Tempo congelado quando tudo era calor  
Passou o tempo e as chances foram contra
Deserto em meio à multidão
Faço poesia, peço perdão
Faço tricô de palavras vazias
Mas é esse espaço que incomoda
Aquário com peixe solitário
Voltas e voltas e voltas
Espera monótona pela ração diária
Observo o baú abrir a cada minuto
Mas não há ouro
Apenas bolhas repletas de ares vazios 
Que não me ajudam a respirar melhor
 
 

Sobre Paolla Saraiva

"Encontrar a liberdade onde menos se espera... No fundo do tinteiro... Na ponta de uma pena" (Marquês de Sade) Ver todos os artigos de Paolla Saraiva

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: